Em Rio Branco, garoto de 13 anos sobrevive após cair em cisterna abandonada com 10 metros de profundidade

Em Rio Branco, garoto de 13 anos sobrevive após cair em cisterna abandonada com 10 metros de profundidade

Capa: Adolescente caiu dentro de cisterna com mais de 10 metros de profundidade — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros.

Um adolescente de 13 anos sobreviveu após cair dentro de uma cisterna vazia que está abandonada e tem mais de 10 metros de profundidade. O acidente ocorreu na tarde deste domingo (19) no bairro Preventório, em Rio Branco. O adolescente ficou com várias escoriações pelo corpo e quebrou um dos braços.

A cisterna onde o jovem caiu estava aberta e faz parte de uma Estação de Tratamento de Água desativada que fica no bairro. O G1 entrou em contato com o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento do Acre (Depasa) e foi informado que uma equipe técnica do órgão está apurando o ocorrido e vai se posicionar posteriormente.

O menino foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros que ficou aproximadamente 40 minutos para fazer o resgate por conta da dificuldade de acesso ao local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e levou o adolescente para o Pronto-Socorro de Rio Branco.

O menino brincava com amigos quando caiu na cisterna. “Esta cisterna em que ele caiu parte dela está com água e a outra parte não está, que foi exatamente na parte em que ele caiu”, disse o major Cláudio Falcão, dos bombeiros.

O jovem estava consciente quando foi resgatado de dentro da cisterna. “A dificuldade foi por conta da profundidade. Tivemos que usar técnicas de rapel e usar escada para fazer o resgate dele com segurança. Ele estava muito machucado, mas consciente”, finalizou.

Morte de menino

O pequeno Vilk Gabriel Andre de Lima, de 8 anos, morreu afogado após cair dentro de um bueiro aberto de uma estação de tratamento de esgoto abandonada, no 7 de fevereiro, em Rio Branco. O caso ocorreu na Rua Pequena Jéssica, no bairro Wanderlei Dantas. O menino brincava com outras crianças quando caiu e se afogou.

Ao G1, na época, a assessoria de comunicação do Depasa disse que o órgão estava apurando o caso e ia tomar as medidas necessárias no sentido de reparar o dano e possível assistência à família.

“Ele estava com os vizinhos brincando da barra, ele foi se esconder e caiu no bueiro. É aberto o bueiro, têm vários bueiros abertos lá”, contou o pai da criança, Cleigilson de Souza, muito abalado, na época do acidente. Por G1 AC

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS: 0
DISQUS: 0
WhatsApp chat