Menção de advogado sobre integrantes do CV corrobora com a tese de que ele participa dessa organização, diz delegado

Menção de advogado sobre integrantes do CV corrobora com a tese de que ele participa dessa organização, diz delegado

A Justiça do Acre decretou na manhã desta sexta-feira, 24, a prisão do advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, que confessou ser integrante d

Piracema passa pelo rio Tarauacá e pescadores relatam a fartura de peixe
Festival do Açaí começa nesta sexta-feira, no município de Feijó
Primeira-dama defende professor acusado de racismo e diz que pensa em se fantasiar de “Nega Maluca”

A Justiça do Acre decretou na manhã desta sexta-feira, 24, a prisão do advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, que confessou ser integrante da facção criminosa Comando Vermelho após aparecer em um vídeo no WhatsApp manuseando uma submetralhadora.

Os delegados Alcino Júnior e Pedro Resende e os secretários de Polícia Civil, Carlos Flávio Portela, e de Segurança, Emylson Farias, falaram sobre o caso durante coletiva.

A Justiça do Acre decretou na manhã desta sexta-feira, 24, a prisão do advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, que confessou ser integrante da facção criminosa Comando Vermelho após aparecer em um vídeo no WhatsApp manuseando uma submetralhadora.

Os delegados Alcino Júnior e Pedro Resende e os secretários de Polícia Civil, Carlos Flávio Portela, e de Segurança, Emylson Farias, falaram sobre o caso durante coletiva.

O delegado Pedro Resende disse que o advogado “vai responder possivelmente por porte ilegal de arma de fogo, disparo de arma de fogo e ainda por participar ou integrar organização criminosa”.

Resende lembrou ainda que a confissão do advogado de participação na facção criminosa Comando Vermelho corrobora com a tese de que ele participa dessa organização.

“Essas pessoas que ele cita, que são integrantes de uma organização, já estão condenadas, o que mais uma vez corrobora com a tese de que ele participa dessa organização.”

“Logo que tomamos conhecimento do fato instauramos inquérito. Nós não podemos admitir que pessoas venham a fazer apologia pro crime e fiquem aí no escárnio com a sociedade”, destacou o secretário de Segurança, Emylson Farias.

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS: 0
DISQUS: 0