Dos 29 médicos que tiveram formatura antecipada para ajudar no combate à Covid-19, só 12 ficam no Acre

Dos 29 médicos que tiveram formatura antecipada para ajudar no combate à Covid-19, só 12 ficam no Acre

Dos 29 médicos que tiveram a formatura antecipada pela Universidade Federal do Acre (Ufac), no mês de abril, para ajudar no combate ao novo coronavírus, apenas 12 ficaram no estado.

O Conselho Regional de Medicina (CRM-AC) explicou que 16 profissionais tiraram o registro no estado acreano e estão hábitos a trabalhar.

Destes, 12 foram contratados pelo Estado para trabalharem nas unidades de saúde, segundo a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). Seis estão instalados em unidades de Rio Branco e outros seis em Cruzeiro do Sul, no interior.

Com pandemia do novo coronavírus, número de atendimentos aumentou nas unidades de saúde  — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Com pandemia do novo coronavírus, número de atendimentos aumentou nas unidades de saúde — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Segundo o CRM-AC, o Acre tem 1.077 médicos ativos e em situação regular no estado.

Falta de profissional

Desde que a pandemia começou a demanda por atendimentos em todo estado aumentou e trouxe a necessidade de contratação de profissionais de saúde, entre eles médicos.

Capital e cidades do interior têm falta de profissionais para atuarem no combate à doença — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Capital e cidades do interior têm falta de profissionais para atuarem no combate à doença — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o secretário de Saúde, Alysson Bestene, contou que manter os profissionais no estado é uma das dificuldades encontradas para suprir a falta de médicos.

“É um cenário que nos preocupa bastante, principalmente no interior que são municípios distantes, e nossa dificuldade em ter profissionais nessas localidades como Porto Walter, Marechal Thaumaturgo. Já buscamos, fizemos chamamento de profissionais e não temos a presença dos profissionais”, frisou.

Como alternativa para o problema, a Sesacre pretendia contratar em caráter de urgência médicos formados no exterior sem o Revalida, porém, o CRM-AC entrou com uma ação impedindo essa contratação.

“O CRM se posiciona contra a infrigência da norma. O Estado entrou contra o CRM pedindo a contratação de médicos para atendimento nas UPAs, fomos contra a medida, o CRM, inclusive, colocou soluções como remanejamento de médicos e isso foi feito pelo Estado, é tanto que na segunda ação o Estado já reconhece que Rio Branco não tem essa necessidade”, argumentou o assessor jurídico do Conselho, Mário Rosas.

Acre tentou contratar profissionais sem Revalida para atuarem no combate à Covid-19 — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Acre tentou contratar profissionais sem Revalida para atuarem no combate à Covid-19 — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Em relação ao interior, tanto a Sesacre como o CRM-AC concordam que, com o avanço do novo coronavírus, uma alternativa para os municípios seria o envio de profissionais do Programa Brasil Conta Comigo.

“A gente tem buscado junto à bancada federal, ao próprio Ministério da Saúde, para ter esse apoio de profissionais que se inscreveram e foram para outros estados, uma vez que nesses estados está diminuindo o serviço, para que possam também nos ajudar e a gente possa alocar esses profissionais em cidades mais distantes”, justificou o secretário de Saúde.

FONTE: G1 ACRE

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS: 0
DISQUS: 0
WhatsApp chat