Órgãos apuram pagamento indevido de auxílio emergencial a servidores públicos no AC

Órgãos apuram pagamento indevido de auxílio emergencial a servidores públicos no AC

Com o objetivo de identificar o pagamento indevido do auxílio emergencial a servidores públicos no Acre, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Controladoria Geral da União (CGU) fazem um trabalho conjunto para identificar possíveis irregularidades.

O auxílio emergencial de R$ 600 é pago pelo governo federal a informais, desempregados e famílias mais afetadas economicamente pela pandemia do novo coronavírus.

Ao G1, a assessoria de comunicação do TCE informou que o levantamento começou a ser feito no dia 26 de maio e que já foi concluído. No último dia 16, os dados foram repassados à CGU que deve fazer o cruzamento dos dados e só então os números vão ser divulgados.

Ainda conforme a assessoria, não há uma data marcada para a divulgação destes dados com a quantidade de servidores que teriam recebido o auxílio indevidamente.

Além disso, o órgão informou que em caso de identificação de recebimento irregular, pode ser caracterizado como crime e infração de cunho disciplinar.

Quase 30 mil não receberam

Dados divulgados nessa segunda-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que pouco mais de 87 mil acreanos tiveram renda mensal domiciliar per capita de apenas R$ 52,66 em maio. Dentre estes, 27,7 mil não receberam o Auxílio Emergencial.

Ao todo, foram beneficiados 118,7 mil lares no estado do Acre, o que corresponde a 50,4% do total. Considerando a população, o IBGE aponta que 57,5% vivem em um dos lares que receberam o valor.

Outros casos em investigação

Além do levantamento destes órgãos em relação a servidores públicos, até o início da segunda quinzena deste mês, a Polícia Civil investigava mais de 100 casos de beneficiários que podem ter sido vítimas de estelionatários e foram prejudicados com algum tipo de transação indevida do pagamento do Auxílio.

Na maioria dos casos, segundo a polícia, os beneficiários, ao tentar sacar os R$ 600 do auxílio, descobrem que a quantia já foi usada em saques, transferências bancárias ou pagamentos de contas e boletos.

A Caixa informou à época que a área de segurança do banco está fazendo o monitoramento e mapeamento das denúncias em colaboração com os órgãos de Segurança Pública competentes para tentar coibir as ocorrências de fraudes.

Orientação

Na mesma época, a Polícia Federal também fez orientações as possíveis vítimas destes golpes e disse que estas pessoas não precisam procurar delegacias da PF ou da Polícia Civil para fazer a denúncia.

A superintendente da Polícia Federal no Acre, delegada Diana Calazans Mann, afirmou que o beneficiário que se sentir lesado de alguma forma deve formalizar a denúncia diretamente na agência da Caixa Econômica Federal. Em seguida, o próprio banco é que vai notificar a Polícia Federal sobre os casos para serem investigados.

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS: 0
DISQUS: 0
WhatsApp chat